Prémio Nobel da Literatura 2021: a lista de candidatos da Livraria Lello


A poucas horas da divulgação do vencedor do Prémio Nobel da Literatura 2021, as listas de favoritos multiplicam-se e as casas de apostas estão ao rubro! A Livraria Lello contribui para a reflexão em torno da escolha da Academia Sueca, relembrando os candidatos ao galardão maior da literatura mundial que estão em destaque na Livraria Mais Bonita do Mundo. Confira os 21 nomes que integram a nossa lista!

Desde 1 de junho de 2021, a Livraria Lello dedica todo o seu primeiro piso ao tema do Prémio Nobel da Literatura. Numa viagem pela obra de 143 autores, dos que foram agraciados com o Nobel aos que poderiam ter sido vencedores do Prémio, passando por aqueles que ainda o podem ganhar [ler mais sobre o projeto]. 

De uma escolha difícil – quase impossível – resulta uma lista que reúne alguns daqueles que representam o melhor da literatura mundial. Os nomes emergiram da crítica literária de todo o mundo, dos favoritos ao Prémio Nobel apontados por diferentes casas de aposta nos últimos anos, das principais listas de “livros para ler antes de morrer” (do New York Times, do Le Monde ou da Time Magazine, por exemplo) e de um inquérito realizado junto da comunidade de leitores e visitantes da Livraria Lello.

Mentes geniais, com uma capacidade única para traduzir em palavras a mais crua realidade ou a mais mirabolante história de encantar. Escritores com uma habilidade fora do comum para contar histórias que cruzam séculos sem perder atualidade. Homens e mulheres de diferentes nacionalidades que dão um contributo inestimável à Literatura, à Cultura e ao pensamento humano. A excelência é o adjetivo comum destes 21 autores:

 

1. António Lobo Antunes
António Lobo Antunes nasceu em Lisboa (Portugal) em 1942, estudou Medicina e especializou-se em Psiquiatria. Exerceu, durante vários anos, a profissão de médico psiquiatra. Em 1979 publicou os seus primeiros livros, Memória de Elefante e Os Cus de Judas. Desde então transformou-se num dos autores contemporâneos mais lidos e discutidos no âmbito nacional e internacional. O seu trabalho literário tem sido objeto dos mais diversos estudos e dos mais importantes prémios, entre os quais: Prémio Bottari Lattes Grinzane (2018), Prémio Vida e Obra de Autor Nacional (2017), Grande Prémio de Excelência do Salão do Livro da Transilvânia (2014) Prémio Juan Rulfo (2008), Prémio Camões (2007), Prémio Jerusalém (2005), Prémio Ovidio (2003) e Prémio Europeu de Literatura (2001).

2. Antonio Muñoz Molina
O escritor espanhol Antonio Muñoz Molina nasceu em 1956, em Úbeda, estudou História de Arte e Jornalismo. Nos anos oitenta, estabeleceu-se em Granada, onde trabalhou como funcionário público e colaborou como colunista no diário Ideal. O seu primeiro livro é uma compilação desses artigos. Hoje é mundialmente reconhecido como um dos maiores escritores atuais em língua espanhola, é autor de de romances, contos e numerosos ensaios e escritos jornalísticos. Foi duas vezes vencedor do Premio Nacional de Narrativa (1988 e 1992) e galardoado com o Prémio Príncipe de Asturias pelo conjunto da sua obra (2013).

3. Can Xue
Deng Xiaohua, conhecida pelo pseudónimo Can Xue, nasceu em 1953, em Hunan, China. O início da sua vida foi marcado pelas presseguições à família, no contexto Campanha Antidireitista de 1957. Esse período influenciou profundamente o rumo do seu trabalhoa. A sua obra, principalmente contos ficção vanguadista, rompe com o realismo dos primeiros escritores chineses modernos. Também escreveu romances, novelas e críticas literárias à obra de Dante, Jorge Luis Borges e Franz Kafka. Can Xue foi descrita como "a mais proeminente autora de ficção experimental da China", e parte de sua ficção foi traduzida e publicada em inglês.

4. Chimamanda Ngozi Adichie
Chimamanda Ngozi Adichie nasceu em 1977 na Nigéria e aos dezanove anos foi estudar para os Estados Univos. É reconhecida como uma das mais importantes jovens autoras anglófonas, atraindo uma nova geração de leitores de literatura africana. Os seus contos receberam inúmeros galardões como o da BBC Short Story Competition (2002) e o O. Henry Short Story Prize (2003). A Cor do Hibisco, o seu primeiro romance, foi distinguido com o Hurston/Wright Legacy Award 2004 e o Commonwealth Writers' Prize 2005. Meio Sol Amarelo venceu, em 2007, o Orange Broadband Prize, o Anisfield-Wolf Book Award e o PEN "Beyond Margins Award". Americanah venceu o Chicago Tribune Heartland Prize 2013. A escritora foi também distinguida, em 2008, com um Future Award na categoria de Jovem do Ano e, em novembro de 2020, venceu a categoria 'Winner of Winners', do Women's Prize for Fiction.

5. Don DeLillo
Don DeLillo nasceu em 1936, em Nova Iorque. É autor de vários romances e peças de teatro, nos quais traça um retrato detalhado da vida cotidiana no século XX. Foi galardoado com o National Book Award, o PEN/Faulkner Award e o Jerusalem Prize. Submundo foi finalista dos prémios Pulitzer e do National Book Award e recebeu em 2000 a Medalha Howells da American Academy of Arts and Letters; em 2006, foi considerado um dos três melhores romances dos últimos vinte e cinco anos pela New York Times Book Review. Em 2015, Don DeLillo foi distinguido pelo seu excecional contributo para as Letras Americanas pela National Book Awards.

6. Elena Ferrante
Elena Ferrante é o pseudónimo de uma escritora italiana, cuja identidade é mantida em segredo. Houve até quem suspeitasse que se trata de um homem; outros dizem que nasceu em Nápoles e viveu na Grécia e em Turim. A maioria dos críticos considera-a uma voz extraordinária que provocou um terramoto na narrativa dos últimos anos. O sucesso de crítica e público reflete-se em artigos publicados em jornais e revistas como The New York Times e Paris Review. A sua saga composta por A amiga Genial, História do Novo Nome, História de Quem Vai e de Quem Fica e História da Menina Perdida está destinada a tornar-se um clássico da literatura europeia do século XXI.

7. Haruki Murakami
Haruki Murakami nasceu em Quioto, em 1949. Estudou teatro grego antes de gerir um bar de jazz em Tóquio, entre 1974 e 1981. É um dos autores japonês mais aclamados de todos os tempos, com traduções da sua obra em mais de 50 idiomas. Aplaudido pela crítica, que o considera um dos “grandes romancistas vivos” (The Guardian) e a “mais peculiar e sedutora voz da moderna ficção” (Los Angeles Times). Além de Sputnik, Meu Amor, Kafka à Beira-Mar, Dance, Dance, Dance e A Wild Sheep Chase, que recebeu o Prémio Noma destinado a novos escritores, Murakami é ainda autor, entre outros, de Hard-boiled Wonderland and the End of the World (distinguido com o prestigiado Prémio Tanizaki) e, mais recentemente, de Blind Willow, Sleeping Woman, a sua terceira coletânea de contos, distinguida com o Frank O'Connor International Short Story Award.

8. Javier Marías
Javier Marías nasceu em Madrid (Espanha) em 1951. É um dos mais destacados autores espanhóis da atualidade. Entre as suas obras destacam-se El hombre sentimental (Prémio Ennio Flaiano), Todas las almas (Prémio Ciudad de Barcelona), Corazón tan blanco (Prémio da Crítica em Espanha, Prix l’Oeil et la Lettre, IMPAC Dublin Literary Award), Mañana en la batalla piensa en mí (Prémio Fastenrath, Prémio Rómulo Gallegos, Prix Fémina Étranger). Em 1997 recebeu o Prémio Nelly Sachs; em 1998, o Prémio Comunidad de Madrid; em 2000, os prémios Grinzane Cavour e Alberto Moravia; em 2008, os prémios Alessio e José Donoso; e em 2011, o Prémio Nonino, e o Prémio Literário Europeu. A sua obra encontra-se publicada em quarenta idiomas e cinquenta países.

9. John Banville
John Banville nasceu em Wexford, na Irlanda, em 1945. Na sua já vasta e premiada obra destacam-se Doutor Copérnico (James Tait Black Memorial Prize 1976), Kepler (The Guardian Fiction Prize 1981), Fantasmas, O Intocável, O Livro da Confissão (finalista do Booker Prize 1989) e O Mar (vencedor do Man Booker Prize). Em 2014, foi distinguido com o Prémio Príncipe das Astúrias das Letras. Reconhecido pelo seu estilo de prosa preciso, frio, forense, com uma inventividade Nabokoviana, e pelo humor negro, Banville é considerado "um dos romancistas atuais literariamente mais imaginativos escrevendo na língua inglesa” e tem sido descrito como "herdeiro de Proust, via Nabokov”.

10. Joyce Carol Oates
Joyce Carol Oates nasceu em 1938, em Nova Iorque. Publicou o seu primeiro romance em 1963 e ganhou o National Book Award com o romance Eles. Escreveu alguns dos textos literários mais representativos da nossa época, incluindo What I Lived For, nomeado para o prémio Pulitzer de Ficção, e Blonde, finalista do mesmo galardão e do National Book Award. A sua vasta obra literária conta com cerca de 90 títulos publicados, entre romances, contos, poesia, teatro e ensaios. Está traduzida em várias línguas sendo unanimemente reconhecida pela crítica internacional. Recebeu, em 2003, o Common Wealth Award e o Kenyon Review Award.

11. Lyudmila Ulitskaya
Ludmila Ulitskaya nasceu em 1943, no seio de uma família russa judaica da alta burguesia, e foi educada em Moscovo. Formada em Biologia, trabalhou como geneticista até perder o emprego por se ter ocupado em demasia com literatura proibida. A sua obra inclui peças de teatro e radiofónicas, contos, contos infantis, novelas e romances. Está traduzida em cerca de vinte línguas e em 1996 recebeu em França o Prémio Médicis para a melhor novela estrangeira com Sónetchka.

12. Margaret Atwood
Margaret Atwood nasceu em Otava (Canadá) em 1939. É a mais celebrada autora canadiana e publicou mais de quarenta livros de ficção, poesia e ensaio. Recebeu diversos prémios literários ao longo da sua carreira, incluindo o Arthur C. Clarke, o Booker Prize, o Governor General’s Award e o Giller Prize, bem como o Prémio para Excelência Literária do Sunday Times (Reino Unido), a Medalha de Honra para Literatura do National Arts Club (EUA), o título de Chevalier de l’ Ordre des Arts e des Lettres (França) e foi a primeira vencedora do Prémio Literário de Londres. A sua obra está traduzida para trinta e cinco línguas.

13. Marilynne Robinson
Marilynne Robinson nasceu em 1943, no estado de Idaho (Estados Unidos da América). Tem uma longa e destacada carreira como professora universitária. Escreveu três aclamados romances: Housekeeping, em 1980, Gilead, em 2004, e Home, em 2008. Gilead ganhou o Prémio Pulitzer de Ficção, e Home ganhou o Prémio Orange de Ficção do Reino Unido. Além de romancista consagrada, é também ensaísta de grandes méritos e autora de artigos para revistas e jornais de grande prestígio, como o New York Times Book Review. É detentora do Hemingway Foundation/Pen Award, e, em 2013, foi condecorada pelo Presidente Barack Obama com a National Humanities Medal. Marilynne Robinson é já considerada uma escritora clássica da literatura contemporânea.

14. Maryse Condé
Maryse Condé nasceu em Guadalupe (Caribe) em 1937.  É uma reconhecida escritora francófona, feminista e ativista, difusora da história e a cultura africana nas Caraíbas. Destaca-se pela sua vasta produtividade como autora e pela sua versatilidade para escrever ficção histórica, contos, romances, ensaios, poemas e outros géneros. É especialmente conhecida pelo seu romance Segu (1984–1985). Para além de escritora, Condé teve uma distinta carreira académica, tendo dado aulas em diversas Universidades dos Estados Unidos.

15. Milan Kundera
Milan Kundera nasceu em 1929, em Brnö, na antiga Checoslováquia. Em 1975 fixou residência em Paris, tendo, em 1981, adotado a nacionalidade francesa. Autor de uma vasta obra, que abrange o romance, o ensaio e a poesia, é considerado um dos mais importantes escritores do século XX. A Insustentável Leveza do Ser é a sua obra mais aclamada pelos leitores e pela crítica, e em muito contribuiu para o tornar num autor reconhecido internacionalmente. Entre outros, foram atribuídos a Milan Kundera o Prémio Médicis (1973), o Prémio Mondello (1978), o Prémio Common Wealth (1981), o Prémio Jerusalém (1985) e o Prémio Independent de Literatura Estrangeira (1991).

16. Mircea Cărtărescu
Mircea Cărtărescu nasceu em Bucareste (Roménia), em 1956. É poeta, romancista e ensaísta, e um um dos autores romenos mais traduzido e premiado mundialmente. Entre 1980 e 1989, trabalhou como professor de língua romena e como editor na revista Caiete Critice. Desde 1991 que é professor universitário. Em 1994 recebeu o Romanian Writers Union Prize e o Republic of Moldova Prize, em 2015 foi distinguido com o Prémio Europeu de Literatura do Estado Austríaco e, em 2018, com o Prémio Nacional de Poesia Mihai Eminescu. A sua obra foi traduzida para o inglês, francês, espanhol e alemão.

17. Neil Gaiman
Gaiman nasceu em 1960, no Reino Unido. Antes de se dedicar à escrita, foi jornalista e crítico literário. Tornou-se depois num autor galardoado de romances, novelas gráficas, contos e filmes. Os seus títulos incluem Mitologia Nórdica, A estranha vida de Nobody Owens, Coraline, O que se vê da última fila, O oceano no fim do caminho, Neverwhere: Na Terra do Nada e a série de novelas gráficas The Sandman, entre outras obras. A sua ficção recebeu os prémios Newbury, Carnegie, Hugo, Nebula, World Fantasy e Will Eisner.

18. Richard Ford
Richard Ford nasceu em Mississípi (Estados Unidos da América), em 1944. É autor de oito romances, um ensaio e quatro coletâneas de contos. Reconhecido pela crítica como um dos grandes retratistas dos temas estruturantes da sociedade norte-americana, Ford detém o recorde de ter sido o único autor distinguido em simultâneo com os prémios Pulitzer e Pen/Faulkner para uma mesma obra: Independence Day. Com Canadá, foi agraciado com o Prix Femina Étranger e o Andrew Carnegie Medal for Excellence. Em junho de 2016, Richard Ford foi distinguido com o Prémio Princesa das Astúrias das Letras e, em 2019, com o Library of Congress Prize para ficção americana.

19. Salman Rushdie
Salman Rushdie nasceu em 1947, em Bombaim (Índia) e mudou-se, entretanto para Inglaterra. Terminou em 1968 a licenciatura em História na Universidade de Cambridge e trabalhou como ator e redator publicitário. O seu nome tornou-se famoso em todo o mundo por ter sido condenado à morte por motivos religiosos. Antes disso Rushdie já se havia notabilizado com o segundo romance Midnight's Children (1980) que recebeu o Booker Prize desse ano e, em 1993, o Booker of Bookers. A obra de Rushdie é marcada pelo fascínio pelas cultura e mitologia indo-europeias, sendo constituída por fábulas alegóricas sobre temas históricos e filosóficos.

20. Stephen King
O romancista norte-americano Stephen King nasceu em 1947, em Portland. Escreve terror, ficção sobrenatural, suspense, ficção científica e fantasia. Os seus livros já venderam mais de 400 milhões de cópias, com publicações em mais de 40 países. É o 9º autor mais traduzido no mundo. Muitas de suas obras foram adaptadas a filmes, séries de televisão e bandas desenhadas. King já publicou 60 romances, incluindo 7 sob o pseudônimo de Richard Bachman, 12 coletâneas de contos e seis livros de não ficção.

21. Yan Lianke
Yan Lianke nasceu em 1958, em Henan (China). A sua obra distingue-se pelo tom altamente satírico. Alguns dos deus livros mais aclamados internacionalmente foram censurados na China. Começou a escrever em 1978 e, entre as suas obras de maior sucesso, destacam-se Xia Riluo, Serve the People!, Enjoyment, e Dream of Ding Village. Publicou ainda mais de uma dezena de volumes de contos, crítica literária e ensaios. Venceu, em 2011, o Man Asian Literary Prize, em 2014, o Franz Kafka Prize, em 2016 e 2017, o Man Booker International Prize e, em 2021, o Newman Prize for Chinese Literature.