Primeira edição de Harry Potter and the Philosopher’s Stone licitada por 117 mil euros

José Eduardo Agualusa em destaque na Livraria Lello
Um exemplar da primeira edição de Harry Potter and The Philosopher’s Stone, em tudo semelhante ao adquirido em 2019 pela Livraria Lello, foi agora leiloado por mais de 117 mil euros. Em apenas dois anos, a obra valorizou quase 50 mil euros, provando que os livros são, de facto, objetos seguros de investimento.

Em 2019, numa atitude absolutamente inovadora, a Livraria Lello lançou uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre as primeiras edições de obras verdadeiramente marcantes do universo literário e cultural, tendo adquirido o primeiro número de A Gazeta da Restauração por 3 mil euros e um exemplar da primeira edição de Harry Potter and The Philosopher’s Stone por 70 mil euros. No mesmo momento ofereceu 250 mil euros pela primeira edição de Os Lusíadas (valor entretanto atualizado para 300 mil euros), obra da qual continua à procura, para juntar aos tesouros do seu espólio.

As provas de que os Livros são, de facto, objetos de investimento continuam a fazer-se notar. No passado dia 16 de julho, a Sotheby’s Nova Iorque leiloou uma primeira edição de Harry Potter and The Philosopher’s Stone por 138.600 dólares, cerca de 117.500 euros, ao câmbio atual.

“Valorizar o Livro enquanto objeto de arte, de cultura, mas também de investimento tem-se assumido como uma das principais missões da Livraria Lello. Esta notícia reforça-o, incentivando-nos a seguir o sonho de continuar a valorizar e salvaguardar o património literário e editorial”, refere a administradora da Livraria Lello, Aurora Pedro Pinto.

Porque é que a primeira edição de Harry Potter and The Philosopher’s Stone é tão valiosa?

Se em 1997, ano em que foi lançada pela primeira vez, esta obra foi vendida por 10,99 libras (cerca de 12,70 euros ao câmbio atual), hoje o mesmo livro vale 10 mil vezes mais! 

Harry Potter and The Philosopher’s Stone foi o livro que iniciou um fenómeno global, uma série que vendeu já mais de 450 milhões de cópias em todo o mundo, em 79 línguas, continuando a cativar leitores de todas as idades.

Da autoria da escritora britânica J. K. Rowling, e lançado em 1997 pela editora Bloomsbury, o primeiro livro da saga Harry Potter é o mais raro e também o mais procurado. Existem apenas 500 exemplares da primeira tiragem, dos quais 300 foram distribuídos por bibliotecas.

A qualidade do papel e o público a que se destina a obra (infantojuvenil), fazem com que seja ainda mais difícil encontrar um exemplar em excelente estado de conservação, tal como acontece quer com o exemplar que integra o espólio da centenária Livraria Lello, quer com o leiloado pela Sotheby’s na passada semana.


Como identificar uma primeira edição de Harry Potter and The Philosopher’s Stone
 
Identificar a primeira edição de um livro nem sempre é uma tarefa fácil. Contudo, há características, e até por vezes erros de edição, que podem auxiliar os leitores e colecionadores nessa identificação. No caso da primeira edição do primeiro livro da saga Harry Potter, são quatro os pontos a que se deve prestar atenção:
  • O ano que consta na informação de copyright deve ser 1997;
  • O número da linha de impressão deve seguir uma ordem decrescente do 10 ao 1 – “10 9 8 7 6 5 4 3 2 1”;
  • O nome da autora na ficha técnica surge como “Joanne Rowling”, em vez de J. K. Rowling;
  • Na página 53, na lista de material escolar que Harry recebe de Hogwarts, o item “1 wand” deve surgir duas vezes, uma no início e outra no fim.