Antoine de Saint-Exupéry, The Little Prince
Reynal & Hitchcock – 1943


Sinopse
O Principezinho foi publicado pela primeira vez em 1943. Mais de meio século depois, a fábula de Saint-Exupéry sobre o amor e a solidão não perdeu nenhuma da sua força, muito pelo contrário, este livro, que se transformou numa das obras mais amadas e admiradas do nosso tempo é, na verdade, de alcance intemporal, podendo ser inspirador para leitores de todas as idades e de todas as culturas.


Biografia
Antoine de Saint-Exupéry nasceu a 29 de junho de 1900 em Lyon, em França. Fez o seu batismo de voo aos 12 anos, aos 22 tornou-se piloto militar e foi como capitão que, em 1939, se juntou à Força Aérea francesa na luta contra a ocupação nazi. A aviação e a guerra viriam a revelar-se elementos centrais de toda a sua obra literária, onde se destacam títulos como Correio do Sul (1929), o seu primeiro romance, Voo Noturno (1931), que logo se tornou um êxito de vendas internacional, e Piloto de Guerra (1942),    retrato da sua participação na Segunda Guerra Mundial. Em 1943, publicou aquela que é reconhecida como a sua obra-prima, O Principezinho, um dos livros mais traduzidos em todo o mundo. Apesar da nacionalidade francesa do autor, o livro foi publicado em Nova York quando Saint-Exupéry escapava da França ocupada pelos Nazis. O autor nunca chegaria a ver a edição francesa, devido ao seu precoce desaparecimento no ano seguinte, num acidente de aviação durante uma missão de reconhecimento no sul de França.


FunFacts
SAINT-EXUPÉRY ESCREVEU O PRINCIPEZINHO AQUANDO DO SEU EXÍLIO NOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA, NO INÍCIO DA II GUERRA MUNDIAL
Saint-Exupéry trabalhava como piloto da Força Aérea francesa quando, em 1940, se deu o armistício entre a França e a Alemanha, resultando na desmobilização das forças francesas. Tal conduziu a que Exupéry deixasse o seu lugar, exilando-se nos Estados Unidos da América, onde acabaria por escrever e editar pela primeira vez O Principezinho.

SAINT-EXUPÉRY ESTAVA FAMILIARIZADO COM ACIDENTES DE AVIÃO NO DESERTO
Logo no início d’ O Principezinho, quando Saint-Exupéry apresenta um avião que cai no deserto do Sarah sabia do que estava a falar. Apesar de hoje ser reconhecido como escritor, antes da Segunda Guerra Mundial, era um piloto aristocrata de renome. Numa tentativa de bater o record para viagem mais rápida entre Paris e Saigão, teve um acidente de avião e despenhou-se a 200 km do Cairo.

É PROVÁVEL QUE A ROSA TENHA SIDO INSPIRADA NA MULHER DO AUTOR, CONSUELO
Apesar de o casal ter vivo longe um do outro durante a maior parte das suas vidas, Consuelo sempre foi a musa de Antoine. Da mesma forma que o Principezinho protege a rosa, regando-a e defendendo-a da adversidade, também Saint-Exupéry trazia sempre Consuelo no seu peito.

SAINT-EXUPÉRY NUNCA VIU O PRINCIPEZINHO PUBLICADO NA SUA TERRA NATAL
O Principezinho foi originalmente publicado em inglês e em francês em 1943, mas apenas nos EUA. Devido à sua posição política controversa, as suas obras só foram publicadas em França após a queda do regime Vichy.

SAINT-EXUPÉRY DESAPARECEU MISTERIOSAMENTE APÓS TER TERMINADO DE ESCREVER O LIVRO
Durante uma missão de reconhecimento em 1944, o avião de Saint-Exupéry desapareceu sem deixar rasto. Só em 1998 encontraram a primeira pista para o destino do escritor: uma pulseira de prata. Mais tarde, em 2000, um mergulhador encontrou o avião no mediterrâneo.

O PRINCIPEZINHO FOI TRADUZIDO EM MAIS DE 250 LÍNGUAS
Sendo um dos livros mais lidos e mais traduzidos do mundo, O Principezinho é muitas vezes usado como base para aprender outras línguas. Em 2005, foi publicada uma edição numa língua do norte da Argentina chamada Toba e tornou-se o segundo livro traduzido neste idioma, depois da Bíblia.

A carregar
A carregar
Este site usa cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao prosseguir estará a consentir a sua utilização.            
Ver Mais